Biópsia de Tireoide: Entenda as Diferenças entre PAAF, PNAAF, CORE BIOPSY e Aspiração por Agulha Grossa

Biopsias

Os nódulos da tireoide geralmente são um achado incidental, detectados durante um exame físico de rotina ou, mais comumente durante um procedimento radiológico, como uma ultrassonografia de carótidas, ultrassonografia cervical ou uma tomografia computadorizada de tórax. Sua importância clínica está relacionada à necessidade de se excluir o câncer de tireóide, presente em 4 a 6,5% de todos nódulos tireoidianos . A biópsia da tireóide  é um dos exames mais importantes na avaliação de um nódulo tireoidiano. É o método mais preciso para avaliar nódulos tireoidianos e selecionar pacientes para a cirurgia da tireoide.

Este artigo tem o objetivo de revisar as diferentes técnicas possíveis de serem utilizadas na biópsia percutânea da tireóide.

Técnicas

Punção aspirativa por agulha fina (PAAF)

A PAAF é um procedimento ambulatorial simples e seguro no qual são obtidas amostras de tecido para exame citológico e, às vezes, teste molecular. A PAAF pode ser realizada com ou sem anestesia local (lidocaína ou xilocaína), fazendo-se  movimentos repetitivos através do nódulo com uma agulha ( geralmente de 22 Gauge). Esta agulha é conectada a uma seringa de 10 mL que pode estar contido em um suporte metálico conhecido como citoaspirador, projetado para facilitar a aplicação de movimentos constantes ou intermitentes de sucção. O material aspirado é colocado diretamente nas lâminas, fixado com citofixador ou imergido em um conservante líquido (geralmente formo a 10%) a partir do qual são feitos emblocados celulares.

Com um profissional experiente as amostras coletadas podem ser adequadamente obtidas em 90 a 97% das paafs de nódulos sólidos. É mais difícil obter amostras adequadas de nódulos com extensa degeneração cística.

Punção não aspirativa por agulha fina (PNAAF)

A PNAAF é uma variação técnica da PAAF. Assim como esta, a PNAAF  utiliza uma agulha de fino calibre (geralmente 22 Gauge) para coletar material celular de um nódulo de tireoide. Entretanto, a diferença neste caso é que a agulha não é acoplada a uma seringa. Da mesma forma, são feitos movimentos repetitivos no interior do nódulo com a agulha com a finalidade de coletar material através de capilaridade. Quando a agulha é removida do nódulo, uma seringa contendo ar é usada para expulsar o material da agulha em lâminas para posterior análise citológica. Alguns estudos têm demonstrado que a PNAAF pode fornecer resultados melhores com  um material menos hemorrágico e com uma maior adequabilidade satisfatória do que o obtido pela técnica de PAAF, com menos falso-negativos e falso-positivos. 

Core Biopsy ou Biópsia de Tireoide por Fragmento

A realização de uma core biopsy ou biópsia de fragmento de tireoide se faz através da retirada de um “pedaço” do nódulo para enviar para análise histopatológica. Este é um procedimento menos comum para a tireoide, uma vez que a PAAF ou a PNAAF na grande maioria dos casos é suficiente para gerar um diagnóstico adequado do nódulo. A core biopsy de tireoide quase nunca é o procedimento inicial de escolha, devido ao seu maior risco de sangramento e aumento do desconforto da paciente. A principal indicação da biópsia com agulha da tireoide é quando uma ou mais PAAFs não são diagnósticas. 

Ao contrário da PAAF, que mostra várias áreas de um mesmo nódulo, a core biopsy fornece apenas o fragmento de uma área do nódulo. No entanto, a realização de uma biópsia com análise histopatológica pode fornecer maiores informações sobre a arquitetura da tireóide em lesões lidas como lesão folicular de significado indeterminado (FLUS) ou suspeita de neoplasia folicular, e esse procedimento pode ser útil também para suspeita de linfoma de tireoide.

Punção Aspirativa com Agulha Grossa

A biópsia de aspiração com agulha grossa é semelhante a PAAF, com a diferença de que as agulhas são mais calibrosas, geralmente de 18 ou 20 gauge. A amostra é geralmente é fixada em formol a 10% com realização de um emblocado celular (cell block) para análise histopatológica.Essa técnica tem sido associada a uma menor taxa de amostras inadequadas . Uma desvantagem em relação à PAAF é que pelo fato de utilizar agulhas mais grossas existe uma chance maior de o paciente sentir dor e apresentar sangramentos após o procedimento. Assim como a core biopsy, este procedimento não é comumente usado, mas é também uma outra opção quando a PAAF não é diagnosticá. 

Comentários Facebook

One thought on “Biópsia de Tireoide: Entenda as Diferenças entre PAAF, PNAAF, CORE BIOPSY e Aspiração por Agulha Grossa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *